quarta-feira, 28 de outubro de 2009

NATURA ECO FISH E SUCESSO DE VENDAS


NATURA ECO FISH

BIOESTIMULANTE FOLIAR DE ORIGEM ANIMAL E VEGETAL MARINHOS

NATURA ECO FISH: É um fertilizante orgânico mineral concentrado, produzido a base de resíduos frescos de peixes, que passaram por processo de moagem e fermentação enzimática natural, resultando em nutrientes e aminoácidos livres, totalmente solúvel em água e facilmente absorvido pelo solo e plantas, através das folhas, caule e raízes.


Ativa o metabolismo geral do solo e da planta, melhorando a fotossíntese e outros processos fisiológicos vitais.


Ajuda na formação de quelatos com nutrientes, melhorando sua absorção e proporcionando uma nutrição mais equilibrada à planta;


Aumenta a reserva de carboidratos, dando mais vigor às brotações e frutos elevando os teores de açúcares (BRIX);


Melhora o pigmento de flores e diminui o abortamento de frutos; Ajuda a planta resistir ao ataque de pragas e doenças eliminando o stress.

Os principais benefícios do NATURA ECO FISH

- Melhora desenvolvimento do sistema radicular;
- Facilita a absorção de água e nutrientes, por incrementar o desenvolvimento da zona absorvente da raiz;
- Desbloqueio de nutrientes devido ao poder quelantizante dos aminoácidos;
- Melhora e recupera a cultura em situações de estresse (hídrico, térmico, fitotoxidades, etc.);
- Melhora a germinação das sementes;
- Melhora a síntese de clorofila. Observando-se as folhas mais verdes e favorecendo o processo da fotossíntese;
- Provoca atraso na perda de folhas, prolongando o ciclo produtivo;
- Aumenta a atividade de enzimas e coenzimas;
- Aumenta a atração das abelhas pelas flores, favorecendo uma maior polinização das mesmas;
- Melhora a taxa de germinação do grão de pólen e acelera o crescimento do tubo polínico, o que propicia um número maior de flores fecundadas e conseqüentemente:
- Melhora a intensidade de florescimento e frutificação.
- Melhora a retenção de flores e frutos.
- Melhora a homogeneidade do estame, de tamanho de frutos e de maturação.
- Favorece a precocidade da colheita ao estimular o processo natural do metabolismo da planta.
- Maximiza o acúmulo de substâncias de reservas/ carboidratos em sementes, raízes, tubérculos, folhas, frutos;
- Aumenta o peso e tamanho dos frutos;
- Aumenta o teor de sólidos solúveis e açúcares (grau brix) em frutos, hortaliças, tubérculos etc, tornando-os, portanto, mais saborosos com maior teores de vitaminas e minerais;
- Melhora o equilíbrio nutricional das plantas;
- Favorece maior resistência pós-colheita;
- Com um metabolismo mais equilibrado, estimula-se a proteossíntese, aumentando a resistência natural das plantas, reduzindo a incidência de pragas e doenças (teoria da Trofobiose-Chaboussou);
- Não é tóxico, portanto não causa dano às plantas, ao homem e ao meio ambiente;
- Melhor qualidade e produtividade.
Garantias:

N ............................... 5 %
P 1,32 %
Ca 0,4 %
Mg 0,09 %
S 0,12 %
Fe 0,2 %
Mn 0,03 %
B 0,02 %
Si 0,25 %
Matéria Orgânica 20 %

Natureza Física: Suspensão Homogênea Líquida


Solúvel em água
pH do produto: 6,0
Densidade: 1120 mg/mL



Uso de Aminoácidos na Agricultura e a Trofobiose

Com a popularização do uso de aminoácidos na agricultura, os técnicos que sabem e usam os conceitos da trofobiose para manejo dos cultivos e criações, ficam querendo saber como agem os aminoácidos e como eles agem nas plantas.

Verificamos os efeitos de aumento de vigor, aumento na resistência a pragas e doenças, maior crescimento de flores, galhos e frutos, aumento de grau Brix de frutos e partes da planta.

Na trofobiose, é estabelecido que as plantas ficam mais atrativas a pragas e doenças quando há em sua seiva maior concentração de substâncias simples como açúcares redutores e aminoácidos que formam as moléculas complexas de polissacarídeos e proteínas, respectivamente.

Então se tem a seguinte questão:

Como se explica que a aplicações de aminoácidos em plantas as tornam mais vigorosas e mais resistentes a pragas e doenças, pois poderíamos aumentar os aminoácidos livres e poderia ter efeito contrário?

Por exemplo:

No interior da planta podemos ter os seguintes aminoácidos livres a espera de formação de proteínas:

Contém as seguintes quantidades de aminoácidos livres


A “receita” da proteína que a planta deseja formar é:

Com os seguintes aminoácidos livres:

A planta sintetizou e já tem 6 unidades de 10 unidades de e 8 unidades de . Faltam 3 unidades do aminoácido e 1 unidade do aminoácido que a planta não tem em sua seiva, pois não teve elementos e condições de sintetizar.

Ao se pulverizar o NATURA ECO FISH, estamos fornecendo quantidades mínimas, mas essenciais, os aminoácidos para a planta formar as proteínas programadas para aumentar florada, frutos, peso de grãos, resistência a pragas e doenças.


Com a formação desta proteína, os aminoácidos livres da planta são utilizados e são retirados da seiva, os alimentos principais de insetos e fungos, repelindo os insetos e dificultando ou interrompendo o desenvolvimento dos fungos.


Insetos batem em retirada de plantas que não tem mais os aminoácidos livres.
Conclusão:

Ao se pulverizar aminoácidos diluídos em plantas está se favorecendo a proteossíntese, que é o processo de formação das proteínas, com a utilização melhor dos aminoácidos livres na seiva da planta.


A quantidade de aminoácidos na seiva diminui e os insetos, sem alimentos que consigam digerir, vão embora e os fungos diminuem o desenvolvimento.

Devido ao contínuo avanço do conhecimento sobre os processos biológicos das plantas, tem-se conseguido obter ampla visão das funções dos aminoácidos, desde o ponto de vista morfológico ou estrutural, como moléculas básicas das proteínas, até suas importantes funções bioquímicas e fisiológicas.

As plantas sintetizam seus próprios aminoácidos a partir do nitrogênio inorgânico que absorvem da solução do solo, e de ácidos orgânicos, produto da fotossíntese, utilizando complexas reações enzimáticas que requerem um notável consumo de energia por parte da planta.

Absorção e utilização dos aminoácidos pelas plantasFornecendo-se uma solução com alto teor de aminoácidos livres a uma planta, observa-se que ela os absorve diretamente para que possa fazer uso imediato dos mesmos, incorporando-os ao seu metabolismo com uma incontestável economia de energia.


Além disso, caso esse aporte seja feito nas fases críticas do ciclo produtivo da cultura (floração, frutificação, maturação) e nos processos de superação de estados de estresse (hídrico, térmico, salino, transplante, etc.) livramos a planta do trabalho de sintetizar os aminoácidos, com uma conseqüente ajuda energética.

O uso de aminoácidos potencializa os mecanismos naturais que a planta possui para enfrentar qualquer situação adversa, além de incrementar sua velocidade de resposta frente a essas condições, já que não tem que investir energia para sintetizar aminoácidos imprescindíveis nessas circunstâncias.

Vantagens do uso do NATURA ECO FISH

- Favorece proteossíntese, diminuindo aminoácidos livres na seiva, diminuindo pragas e doenças
- Estimula a formação de substâncias de defesa da planta,
- Favorece a fotossíntese e aumenta vigor da planta
- Fornece energia e condições para a planta superar situações de estresse
- Promove o maior florescimento, frutificação e enchimento de frutos e grãos.

Resultados de campo:

Aplicação em Algumas Culturas vias Aérea:
Cultura
Dosagem
Diluição p/ 100 L


Leguminosas
1 a 3 L/ha
1 a 2 L

Gramíneas
2 a 3 L/ha
2 L

Algodão
1 a 3 L/há
0,5 a 1,5 L

Cítrus
2 a 5 L/2000 L
0,1 a 0,5 L

Café
2 a 4 L/há
0,5 a 1 L

Tomate, Pimentão, Berinjela
1 a 2 L/ha
0,5 a 1 L

Cebola, Alho, Batata
1 a 2 L/ha
0,25 a 1 L

Morango
0,7 a 1 L/ha
0,25 a 1 L

Frutíferas perenes
1 a 3 L/ha
1 a 2 L

Hortaliças folhosas e raízes
1 a 3 L/ha
1 a 2 L

Flores e ornamentais
2 a 4 L/ha
0,5 a 1 L

Mudas em geral
2 a 4 L/ha
0,5 a 1 L

Outras Culturas
2 a 4 L/ha
0,5 a 1 L

Manga: Pulverizado a 1L/ha em 2 vezes antes e durante florada, tem alongado a panícula diminuído ataque de antracnose, aumentando o pegamento de frutos.

Cana: No sulco de plantio e pós-emergência, tem favorecido o crescimento e aumentado o ºBrix.

Citrus: Na Fazenda Palmeiras, de propriedade do Sr. Reinaldo, faz-se uso do programa “NATURA ECO FISH” compreende aplicações de 2 a 3 litros de “NATURA ECO FISH” Orgânico por bomba de 2000 litros de água em pré-florescimento, pós florescimento e mais 2 aplicações a cada 60 dias e ainda uma aplicação no solo “NATURA ECO FISH”.


Conforme o Sr. Reinaldo, o pomar suportou melhor o período de seca, os frutos não caíram e não murcharam. Ele ainda reduziu em 2/3 as práticas de controle de Ácaros (ferrugem e leprose), reduzindo assim, o custo de produção.


Os frutos ficaram maiores, mais pesados e uniformes. Disse ainda que na colheita pôde avaliar um acréscimo de 8,5% na produtividade e ainda teve aumento no teor de açúcar dos frutos, conforme determinou a análise do BRIX.

Morango: No Sítio Polidoro, dos irmãos Giuliano e Ricardo, plantadores de morango há mais de 20 anos, iniciou-se o uso de “NATURA ECO FISH” nesta safra (2006) e já obtiveram bons resultados.


Disseram que produziam em média 45 frutos por pé na primeira florada; hoje, com o uso do “NATURA ECO FISH”, estão colhendo 70 frutos, com melhor tamanho, mais uniformes, mais brilhantes, mais coloridos e muito mais saborosos.

Observaram ainda, as plantas mais vigorosas, tanto que conseguiram reduzir bastante o uso de agrotóxicos, reduzindo-se assim o custo da lavoura.

Estufa e mudas: Sr. Arlindo Baju, um importante produtor de mudas que possui várias estufas no Estado de São Paulo e Minas Gerais, utiliza “NATURA ECO FISH” nas mudas que produz.


O Sr.Arlindo diz obter um melhor desenvolvimento da mudas, maior vigor, mais saudáveis e com melhor padrão. Disse também que está muito satisfeito, porque suas mudas quando vão ao campo, suportam muito bem o estresse do transplante.

Café: Produtores de Café do sul de Minas Gerais, região conhecida por produzir café de primeira qualidade, contam satisfeitos dos excelentes resultados que obtiveram quando passaram a aplicar “NATURA ECO FISH” em suas lavouras. Observaram plantas mais saudáveis, florada mais uniforme, grãos mais desenvolvidos e preenchidos e uma melhor uniformidade na maturação.


Para confirmar estas observações, na colheita constatou-se aumento na produtividade e melhor qualidade na bebida.

Rosas: Em Atibaia – SP, o Sr. Raul que produz rosas no Sítio Sto. Agostinho, ficou encantado com o uso do “NATURA ECO FISH”, e diz com muito entusiasmo, as melhoras que obteve em seu roseiral.


Produziu hastes mais longas, folhas maiores e mais brilhantes, flores com cores mais definidas, botões maiores e uniformes e ainda, ”ramos mestre” foram emitidos rapidamente e com excelente vigor.

Hoje, o Sr. Raul está muito satisfeito com a qualidade das rosas que produz, portanto, recomenda “Bio Estimulante” a todos que o consultam.

BENEFICIOS DO USO DO SILICIO NA AGRICULTURA


Beneficios do uso do silício na agricultura

Prof. Dr. Gaspar H. Korndörfer
1. INTRODUÇÃO

O silício (Si) é o segundo elemento em abundância na crosta terrestre, depois do oxigênio. Nos solos, o silício solúvel ou disponível para as plantas (H4SiO4 - ácido monosilícico) pode ter origem nos processos de intemperização dos minerais primários e particularmente dos minerais secundários como os argilo-silicatos. Na planta, o Si absorvido tem efeitos benéficos relacionados principalmente com o aumento da resistência ao ataque de pragas (insetos), nematóides e doenças, diminui a taxa de transpiração e, confere maior eficiência fotossintética. Todos estes benefícios sugerem a inclusão do Si na lista dos micronutrientes. Assim, a partir do decreto lei número 4.954, que regulamenta a lei 6.894 de 16/01/1980, aprovada em 14 de janeiro de 2004 (Brasil, 2004), e que dispõe sobre a produção e comercialização de fertilizantes, o Si foi incluído na lista dos micronutrientes.

2. SILÍCIO NA PLANTA

O silício é absorvido pela planta na forma de ácido monossilícico (H4SiO4) juntamente com a água (fluxo de massa) e se acumula principalmente nas áreas de máxima transpiração (tricomas, espinhos, etc.) como ácido silícico polimerizado (sílica amorfa). Em geral, são consideradas plantas acumuladoras de silício, aquelas que possuem teor foliar acima de 1%, e não acumuladoras plantas com teor de silício menor que 0,5% (Ma, et al., 2001). O Si, ao ser absorvido pelas plantas, é facilmente translocado no xilema, e tem tendência natural a se polimerizar. Mais de 94% do Si absorvido pelo trigo foi transportado rapidamente para a parte aérea, concentrando-se nas folhas mais velhas, as quais continham até 11,8% de Si. Em plantas de pepino, ao ser interrompido o suprimento de Si na solução, as folhas superiores apresentaram concentração de Si marcadamente menor que as inferiores, indicando baixa translocação desse elemento na planta, igualmente ao que acontece com o Ca (Barber & Shone, 1966).
Na planta, o silício concentra-se nos tecidos de suporte, do caule e nas folhas, podendo ser encontrado em pequenas quantidades nos grãos. Em geral, o conteúdo médio de silício das raízes é menor se comparado com o caule e folhas, em alguns casos, como por exemplo, a soja, o teor de Si na raiz é maior do que nas folhas (Oliveira, 2004).

2.1. SILÍCIO E A TRANSPIRAÇÃO

A maior parte deste Si é incorporado na parede celular, principalmente nas células da epiderme, estômatos e tricomas, ou depositada juntamente com outros elementos, originando depósitos amorfos chamados de fitólitos ou sílica biogênica. O depósito de Si absorvido é influenciado por vários fatores dentre eles pela idade da planta, do tipo e da localização dos tecidos envolvidos e da absorção através das raízes, além da transpiração.
A deposição de Si junto à cutícula das folhas confere proteção às plantas e ameniza os efeitos de estresses de natureza biótica e abiótica (Epstein,1999). O Si ocorre com maior freqüência nas regiões onde a água é perdida em grande quantidade, ou seja, na epiderme foliar junto as células-guarda dos estômatos e outra célula epidérmica. Esses depósitos de sílica nos tecidos foliares promovem a redução na taxa de transpiração (Dayanandam et. al., 1983).
Uma boa parte das plantas nativas da vegetação do "cerrado" são consideradas acumuladoras de Si, apesar dos solos serem pobres nesse elemento. Algumas espécies podem apresentar muito altos teores de Si ( >8% de Si) (PINHEIRO FILHO, 1999; KORNDÖRFER et al., 1999). Em parte, a elevada acumulação de Si nessas plantas pode ser explicada pela: alta taxa de evapotranspiração, sistema radicular profundo e pela alta ciclagem do Si que ocorre através da queda e/ou decomposição das folhas sobre a superfície do solo e transformação do Si em formas novamente assimiláveis.
A distribuição dos depósitos de Si nas plantas dependem da espécie vegetal e das condições climáticas do ambiente onde ela crescem (Wrang et. al., 1998). Em ambientes como do "cerrado", segundo dados apresentados por Oliveira & Castro (2002), a acumulação de Si nos órgãos de transpiração provoca a formação de uma dupla camada de sílica, o que causa redução da transpiração por diminuir a abertura dos estômatos limitando a perda de água (Takahashi, 1995; Korndörfer et al. 1999; Faria, 2000).

2.2. SILÍCIO E A PROTEÇÃO DAS PLANTAS

Além do efeito na transpiração, a deposição de sílica na parede das células torna a planta mais resistente à ação de fungos e insetos (Dayanandam et. al., 1983). Isso ocorre pela associação da sílica com constituintes da parede celular, tornando-as menos acessíveis às enzimas de degradação (resistência mecânica).

A adubação com Si tem mostrado eficiência no controle de várias doenças importantes, principalmente fúngicas. Pesquisas realizadas em solos orgânicos no sul da Flórida (EUA) demonstraram que a fertilização com Si, na cultura do arroz, reduziu a incidência de bruzone entre 17 e 31 % (Datnoff et al.,1991).

No caso do arroz, a adubação com Si pode eliminar ou reduzir o número de aplicações com fungicidas durante o ciclo da cultura. Isto ocorre porque no arroz, o Si deposita-se em maior proporção abaixo da cutícula, formando uma camada de sílica, contribuindo para fortalecer a planta e dificultar a penetração de hifas de fungos (Ma & Takahashi, 2002, Korndörfer, et. al. 2002).

O silício aparece naturalmente em altas concentrações nas folhas de certas culturas. Na cana-de-açúcar, por exemplo, as concentrações podem variar desde valores muito baixos em folhas jovens (0,14% de Si) até valores muito altos em folhas velhas (6,7% de Si) (Korndörfer & Datnoff, 1995).

Na cultura da soja observa-se que apesar da deposição de Si na folha ser normalmente inferior a 0,5%, isto é, mesmo sem haver a formação da barreira mecânica (dupla camada de Si), o Si absorvido pelas plantas pode contribuir de forma significativa para a redução da cercosporiose. Foi observado que ocorre uma significativa redução na severidade da cercosporiose pela aplicação de silicato, enquanto que a aplicação de calcário não teve o mesmo efeito (Nolla et al., 2004).


O uso de Si na cultura do arroz pode diminuir o consumo de fungicidas, os quais tem sido altamente questionado por grupos ambientalistas, por apresentarem elevado potencial de contaminação do solo e da água. Além disso, os fungicidas são considerados produtos de alta tecnologia e, por isso, acrescentam elevados custos ao produtor, que em muitos casos não possuem condições financeiras para sua aquisição. Assim, o manejo do Si na nutrição de plantas poderá contribuir de forma significativa para uma agricultura mais sustentável e menos poluente.

As plantas, de um modo geral, resistem ao ataque de insetos e doenças quando recebem algum tratamento que produz modificações na sua composição ou estrutura química. Headlee em 1913 relatou que nos Estados Unidos ocorreram grandes prejuízos devido ao ataque de percevejo Blissus leucopterus (Hemiptera: Lygacidae) em sorgo e que, por isso, muitas pesquisas foram realizadas objetivando verificar a possível relação do silício com a suscetibilidade do sorgo ao ataque de percevejos. Carvalho (1999) concluiu que as plantas tratadas com silício foram menos preferidas pelos pulgões e apresentaram cerca de 50% a mais do teor de silício na parte aérea. Além disso, verificou-se um efeito adverso na reprodução e desenvolvimento do pulgão (Tabela

Os mecanismos de resistência às doenças, conferido pelo silício são decorrentes de sua associação com os constituintes da parede celular, tornando-as menos acessíveis às enzimas de degradação. A broca do colmo (Eldana saccharina) é uma das pragas mais destrutiva da cana-de-açúcar na África do Sul.

Estudos com esta praga demonstraram que o teor de Si nos colmos de 6 diferentes cultivares de cana aumentou e que houve redução na massa de insetos (brocas) de até 20% e na de colmos brocados de até 23,7% com o uso de silicato de cálcio. Em outro trabalho, a acumulação de Si nas folhas de cana-de-açúcar pelo uso de silicato resultou no controle da broca do colmo (Korndörfer, et al. 2002).

3. SILÍCIO E A PRODUÇÃO DE CANA-DE-AÇÚCAR
A água absorvida é perdida através da transpiração e o Si é acumulado nos tecidos das plantas. Este é depositado principalmente na parede celular, aumentando a rigidez das células (ADATIA & BESFORD, 1986). As células epidérmicas ficam mais grossas e com um grau maior de lignificação e/ou silicificação, formando uma barreira mecânica ao ataque de fungos e insetos


FOTO 1. Corte transversal de uma folha de arroz mostrando as zonas de acumulação de Si (expansões da epiderme)

FOTO 2. Superfície da folha de arroz mostrando as expansões da epiderme.

Em arroz irrigado, durante o período de 1992-1996, Datnoff et al. (2001), através da análise dos resultados de 23 experimentos de campo, observaram um aumento médio de 1.007 kg ha-1, na produção de grãos, nas parcelas que receberam Si, na forma de silicato de Ca e Mg. Segundo Rodrigues (2000), o aumento no teor de Si nas plantas de arroz, com a aplicação de silicato de Ca e Mg no solo, explicou a redução significativa, no aparecimento de lesões causadas pela "queima da bainha" (Rhizoctonia solani) e no comprimento relativo dessas lesões, nas plantas.
Segundo Faria (2000), a produção de grãos do arroz cresceu de forma positiva com o aumento das doses de Si aplicadas. Independentemente do tipo de solo, houve um aumento linear da produção que variou de 38,6 para 54,3 g vaso-1 na Areia Quartzosa e de 60,6 para 79,0 g vaso-1 no Latossolo Vermelho-amarelo, respectivamente para as doses 0 e 600 kg ha-1 de Si. Esse comportamento linear sugere que a produção de grãos poderia ter sido ainda maior, caso fossem utilizadas doses de Si superiores a 600 kg ha-1.

Observa-se, na Tabela 4, um aumento significativo na produção do arroz irrigado (47%) com o aumento das doses de silicato. O aumento da produção deve-se ao efeito do Si no controle da severidade da bruzone das folhas.

Tabela 4. Doses de silicato e a ocorrência de doenças foliares, de panículas e a produtividade do arroz irrigado, no Projeto Formoso, Tocantins, safra 1999-2000.

Doses
de silicato
Severidade
Incidência
Brusone panículas**
Mancha dos grãos
Prod. grãos
Mancha Parda*
Brusone folhas*

5. APLICAÇÃO DE SILICATO NO SOLO

Os silicatos são as principais fontes de Si para a agricultura, mas para que sejam empregados é necessária a retirada dos metais pesados, algumas vezes em alta concentração, o que pode provocar sérios problemas ambientais. As características consideradas ideais para uma boa fonte de Si para fins agrícolas são: alta concentração de Si-solúvel, boas propriedades físicas, facilidade para a aplicação mecanizada, pronta disponibilidade para as plantas, boa relação e quantidades de cálcio (Ca) e magnésio (Mg), baixa concentração de metais pesados e baixo custo. Os silicatos possuem efeito corretivo (Alcarde, 1992). Com a sua aplicação no solo, o pH aumenta, os teores de Al+3 diminuem, a Saturação por Bases aumenta e a Saturação por Al diminui. Isto acontece porque os silicatos promovem a reação dos ânions SiO3-2 com os prótons de hidrogênio.

Enquanto os silicatos em pó são incorporados em área total, os silicatos granulados são normalmente aplicados em linha juntamente com outras matérias primas na composição de adubos NPK. O uso de silicato granulado juntamente com o NPK é capaz de fornecer o Si próximo ao sistema radicular favorecendo assim a absorção deste elemento pelas plantas além de reduzir o custo da fórmula.

6. Principais fontes de SIlÍCIO

Um número grande de materiais tem sido utilizado como fonte de Si para as plantas: escórias de siderurgia, wollastonita, subprodutos da produção de fósforo elementar, silicato de cálcio, silicato de sódio, cimento, termofosfato, silicato de magnésio (serpentinito) e silicato de potássio. A Wollastonita é um silicato de cálcio muito empregado em experimentação como fonte de Si. As escórias siderúrgicas são as fontes mais abundantes e baratas de silicatos. As escórias da siderurgia do ferro e do aço são originárias do processamento em altas temperaturas, geralmente acima de 1400º C, da reação do calcário (calcítico, magnesiano ou dolomítico) com a sílica (SiO2) presente no minério de ferro:
SiO2 + CaCO3 + MgCO3 ↔ CaSiO3 + MgSiO3 + CO2
(silicato de cálcio e magnésio)

O material fundido é resfriado ao ar ou na água, depois é secado e moído. Para cada 4 toneladas de ferro-gusa produzidas, é gerada, em média, 1 tonelada de escória de alto forno (Coelho, 1998). A solubilidade do Si, nos diferentes tipos de escórias é bastante variável. As escórias de alto forno, normalmente, apresentam maiores teores de Si, mas com baixa solubilidade, enquanto que, as de aciarias (produção de aço) apresentam menores teores de Si, mas de maior solubilidade. Mesmo entre as escórias de aciaria, há variação nos teores e solubilidade do Si. As escórias da produção de aço inox são as que apresentam o Si na forma mais solúvel (Tabela 5).
Tabela 5. Teor total de SiO2, % solúvel, SiO2 "solúvel" por lixiviação, CaO, MgO e poder de neutralização (PN) de algumas fontes de silício.
Materiais/Escórias

* Percentual do Si total solúvel em Na2CO3+NH4NO3

** 3g da fonte de Si + 5g de polietileno de baixa densidade. Esta mistura é colocada sobre uma coluna de lixiviação e lavada com Tampão Tris (pH 7,0) usando bomba peristáltica. Procede-se a determinação do SiO2 no lixiviado depois de 24 e 48 horas.

A granulometria fina das escórias permite maior reatividade no solo, tanto nos arenosos como nos argilosos (Novais et al., 1993). Escórias de alto forno com partículas menores que 0,3 mm são mais eficientes no fornecimento de Ca e Mg para o solo, enquanto as mais grosseiras, com partículas maiores que 2 mm, são as menos efetivas (Oliveira et al., 1994). Por exemplo, foram necessárias maiores quantidades de escória de alto forno com granulometria de 2,0 mm em relação à de granulometria 0,3 mm, para a produção da mesma quantidade de matéria seca por mudas de Eucalyptus urophylla (Novais et al.,1993

OLEO DE NEEM COMBATE PIOLHOS, PULGAS E CARRAPATOS


ÓLEO DE NEEM COMBATE PIOLHOS, PULGAS E CARRAPATOS;


EXTRATO VEGETAL ORGÂNICO PARA CONTROLE PRAGAS E INSETOS. RECOMENDADO PARA CRIADORES DE PASSAROS, CÃES, GATOS, COELHOS, ETC. NO COMBATE DE PULGAS, PIOLHOS E CARRAPATOS. O USO EM CÃES, GATOS, COELHOS E OUTROS ANIMAIS DO PORTE, PODE SER EM FORMA DE BANHO PODE SER ADCIONADO NO SHAMPOO OU PULVERIZADO. EM PASSAROS SE USA PULVERIZAR O AMBIENTE, AS GAIOLAS E ATÉ OS PASSAROS.


Apresentação : Emulsão de Óleo de Neem pronto para ser utilizado.


Utilização: Como repelente de insetos agrícolas. O Óleo de Neem tem efeito comprovado em trabalhos científicos sobre mais de 418 espécies de insetos.


Atua como: Acaricida, Bactericida, Fungicida e Repelente.


Indicação: Lagartas e larvas de insetos Lepdópteros, Coleópteros, Homópteros, Dípteros e Orthópteros e Nematóides.


Mosca Branca (Bemisia Tabaci),

Alternaria Tenuis,

Pulgões,

Aphis Gossypii,

Pulgão Verde,

Traça do Amendoim,

Corcyra Cephalonica,

Culex Fatigans,

Diabrótic Aundecimpuctata,

Fusarium

Heliothis Virescens,

Mosca Minadora,

Liriomyza Sativae (Sementes),

Meloidogyne Arenaria,

M. Javanica,

M. Inognita (Raízes, Folhas, Torta),

Musca Doméstica,

Pieris Brassicae,

Traça das Crucíferas,

Plutilla Xylostela (Folhas e Sementes),

Rhizoctonia Solani,

R. Oryzae,

Sclerotium Rolfsii,

Sitroga Cerearella,

Spodoptera Frugiperda,

Tribolium Casteneum,

Rhizoperta Dominica,

Pragas de Hortaliças,

Traças, Lagartas,

Pulgões, Gafanhotos,

Lagarta,

Lagartas das Hortaliças,

Bicho Minador dos Citros, entre outros.


Modo de Ação: Os extratos de Neem possuem atividades de:

- Antialimentícia e repelência para o inseto;

- Interrompe o crescimento do inseto por provocar distúrbio na ecdise (troca de pele dos insetos);

- Provoca distúrbios fatais nos insetos adultos, caso as fases jovens se alimentem de plantas tratadas;

- Diminui a postura e mata dos insetos;

- Nematicida, reduz população de nematóides fitófagos;

- Fungicida, inibi produção de aflotoxinas;

- Bactericida; inibi o crescimento de algumas espécies de bactérias.


Ou seja, os produtos de Neem não provocam a morte imediata do inseto, mas a interrupção do seu crescimento e conseqüentemente diminuição da população da praga, se enquadrando perfeitamente no conceito de Controle Biológico, sem riscos de se criar resistências, por ser um produto natural. usado também para controle de parasitas externos de animais de pequeno porte como cães, gatos, coelhos, passaros e animais de grande porte como gado.

CHA DE NEEM PREVINE DOENÇAS


A árvore Nim (neem - Azadirachta indica) possui inúmeras propriedades medicinais, e é muito utilizada na medicina Ayurveda, uma das mais antigas do mundo.

Para a medicina Indiana, a doença deve ser tratada muito antes dela ser percebida, podemos citar a prevenção de algumas doenças, como a hipertensão, diabetes, ajuda ainda no combate a insônia, ainda pode ser usado na medicina estética para o tratamento de acne e celulites... também é indicada no controle de colesterol, reumatismo, e enxaqueca.

Por isso, é preciso atacar pequenos desequilíbrios do corpo antes que eles se transformem em enfermidades. Esse equilíbrio na medicina indiana é conseguido com produtos organicos e naturais.

Neem - planta usada para medicina


O neem é comumente conhecido por seu poder de repelência de insetos, podemos ainda citar seu poder acaricida, bactericida e fungicida.
A principal substância ativa do Nim(neem) é a Azadirachtina, sendo que outros triterpenóides, geduninas, nimbin, liminóides entre outras substâncias, agem conjuntamente aumentando a ação inseticida dos extratos. A média é de 46,7% de óleo e 3,6 miligramas de azadiractina por grama de semente.

Controle Hormonal: Devido a semelhança da Azadirachta com o hormônio da ecdise (processo que permite o inseto trocar o exoesqueleto e assim poder crescer), perturba essa transformação, e em altas concentrações pode impedí-lo, causando a morte do inseto.


Ao contrário dos inseticidas químicos, atua no sistema hormonal do inseto, sobre o sistema nervoso ou digestivo.


Na presença do extrato do Neem, o inseto deixa de se alimentar, é repelido ou acaba morrendo por problemas que ocorrerão na metamorfose da larva e pupa.

Efeito da Azadiractina em diferentes estágios de desenvolvimento do inseto:


Diminui o ganho de peso, atrasa ou interrompe a muda (ecdise) levando à morte; Larva adulta demora para amadurecer, fêmeas que conseguem amadurecer e por ovos apresentam baixa viabilidade de descendência; Deformação da pupa depois da eclosão, morte na eclosão, redução de ovo posição, machos impotentes, levando a morte.

Ou seja, os produtos de Nim (neem) não provocam a morte imediata do inseto, mas a interrupção do seu crescimento e conseqüente diminuição da população da praga, se enquadrando perfeitamente no conceito de Controle Biológico. POR ISSO É INDICADO PARA O COMBATE DE PRAGAS EM AGRICULTURAS ORGÂNICAS.

USO AGROPECUÁRIO

Pó de Neem: O pó de Nim (neem) é um produto proveniente das folhas da árvore de Nim (neem). Após a poda das arvores, as folhas seguem para uma estufa, onde elas são desidratadas, isto é, perdem água, e em uma etapa posterior, são moídas para fazer o pó da folha de Nim (neem).


Com esse pó podemos usar de maneira eficiente para:

Uso Agrícola Os derivados do Nim (neem) podem ser aplicados diretamente sobre todo tipo de plantas (folhosas, ornamentais, legumes, ervas aromáticas, árvores frutíferas, flores, grãos, etc.).

Os mecanismos de ação do Nim (neem) se diferenciam de acordo, principalmente com o organismo a ser combatido.


De modo geral, os princípios ativos do Nim (neem) atuam das seguintes formas:


- Ação repelente; - Inibição da alimentação;

- Inibição da fecundidade (até a esterilização)

- Inibição do crescimento Bloqueio da metamorfose Interrupção do ciclo biológico;

- O princípio ativo dos inseticidas a base de Nim (neem ou Azadiractina) quando aplicado sobre a planta é absorvido e distribuído de maneira sistêmica. Desta forma, no momento em que o inseto entra em contato com o Nim (neem), absorve também o mesmo.

Como a ação do Nim (neem) sobre os insetos não é arrasadora, os resultados demoram alguns dias para serem percebidos, mas a inibição da alimentação, principalmente em lagartas, é imediato.
A avaliação do tratamento a base de Nim (neem) deverá ser feita entre 7 e 10 dias após a aplicação, pois a ação é relativamente lenta. Sempre deve ser levado em conta que o número de insetos mortos não é necessariamente um critério de avaliação.

Dependendo do grau de infestação e da população de pragas, uma aplicação de Natura Gold Neem por geração de insetos é suficiente, fazendo-se necessário aplicações sucessivas em caso de infestações permanentes, com intervalos, entre as mesmas, de 5 a 10 dias.

Os defensivos a base de Nim (neem) são inócuos à maioria dos insetos benéficos e podem ser combinados com o uso desses insetos no conceito de proteção à planta. No caso específico das abelhas melíferas, o Nim (neem) não oferece nenhum perigo, assim como a minhocas, passarinhos, cachorros, gatos e até mesmo pessoas.

As propriedades naturais do Nim (neem) não causam qualquer reação tóxica. Uma característica particular do Nim (neem), é que muitos insetos não se alimentam de plantas pulverizadas com seus derivados, mesmo que a opção seja morrer de fome.

Os derivados do Nim (neem) protegem as plantas de uma grande variedade de fungos. Testes realizados provaram que os melhores resultados foram obtidos quando estes produtos foram aplicados de maneira preventiva.

O Nim (neem) pode ser utilizado, também, no armazenamento de alimentos combatendo, com eficácia, gorgulhos e vários tipos de infestações.

Uso Animal O Nim (neem) atua com eficácia no combate à mosca do chifre, sarna, bernes e carrapatos, nos bovinos. O Nim (neem) corta o ciclo da mosca do chifre, evitando sua reprodução.


A aplicação de Natura Gold Neem, diretamente no pelo dos animais, combate o carrapato, em até três dias.

Em aviários, os derivados do Nim (neem) agem eficazmente no combate ao cascudinho de aviário e piolhos. A grande vantagem desses produtos é que podem ser aplicados mesmo com os galpões povoados, pois não oferecem nenhum risco às aves.

A utilização de derivados do Nim (neem) no tratamento aos animais domésticos está se difundindo rapidamente, pois sua toxidade é nula.

Carrapatos, piolhos, sarnas e ácaros são combatidos com facilidade em cães e gatos, sendo recomendada a aplicação de Natura Gold Neem logo após o banho, diretamente sobre a pele do animal, deixando-o secar.


A aplicação de 300 ml de Natura Gold Neem junto ao local, onde os cachorros ou gatos costumam dormir, manterá afastados os insetos.

Indicado para controle de mosca do chifre, carrapatos, bernes, etc.

Fonte: Revista Rural Business

USO HUMANO - CHÁ DE NEEM

Principais doenças tratadas com Nim, na Índia:

Abrasões
Contusões
Gripe
Queimaduras
Acne
Diabete
Hemorróidas
Resfriado
AIDS
Dor de ouvido
Hepatite
Respiração
Alergia
Dor-de-dente
Herpes genitais
Ressaca
Arritmia
Dores em geral
Hipertensão
Reumatismo
Artrite
Eczema
Indisgestão
"Ringworm"
Azia
Encefalite
Infecção urinária
Rinites
Bronquite
Envenenamento
Infecção vaginal
Rins
Câncer
Enxaqueca
Infecção de levedura
Rugas
Candidíase
Epilepsia
Inflamações
Sangue sujo
Caspa
Erupção cutânea
Insônia
Sama
Catapora
Escalpo samento
Intoxicação Gastrointestinal
Sífilis
Chagas
Estimulante
Lombrigas
Fortalece sistema imunológico
Chagas Frias
Fadiga crônica
Malária
Tensão
Circulação
Febre
Mononucleose
Tordo
Clamídia
Fumo
Pé-de-atleta
Tuberculose
Coágulos de sangue
Garganta
Pele seca
Úlcera de Pepti
Coreiro
Gastrite
Piolho
Úlcera Duodeno
Colesterol
Gengivite
Piorréia
Úlceras
Conjuntivite
Gonorréia
Pressão alta
Verrugas
Controle de natalidade
Gravidez
Psoríase
Vitiligo

Existem milhares de fórmulas para uso de do Nim (neem) na Ayurvedica, ou ciência médica indiana.


O Nim (neem) fortalece o sistema imunológico do organismo. O "Pancha-nimbra Gutica", ou o "Pancha Amrita" e também o "Pancha Tikta Ghita" são úteis na lepra, manchas brancas.


Basta uma colher de chá cheia de leite quente com Óleo de Nim (neem), em caso de doenças crônicas de pele. Quase todos os textos religiosos indianos e também da medicina indiana descrevem o uso do Nim (neem).


Milhões de pessoas trabalham com a ciência médica do Nim na Índia e em outros países.

OLEO DE NEEM NA PREVENÇÃO DE DOENÇAS



A IMPORTÂNCIA MEDICINAL DO NEEM:


Atenção:As informações veiculadas neste site não intencionam substituir cuidados médicos. Sempre que necessário consulte seu médico.



O NEEM E A AIDS

A Aids uma doença letal, que tem vitimado milhões de pessoas em todo o mundo. Só no Brasil mais de 500.000 pessoas foram contaminadas desde seu surgimento em 80 e com tratamento que tem consumido cifras bilionárias. Ao encontrar um Site com matéria que associava seu tratamento às propriedades do Neem, achei por bem divulga-lo. Quem sabe, algum médico que não conhece as possibilidades desta árvore se interesse, e passa a desenvolver experiências ou testes, visando alcançar a cura ou a melhora de pacientes portadores deste vírus. É uma fonte a mais. Portanto, eis o material.

O Neem possui propriedades imuno estimulantes não só para o sistema linfótico, como para o sistema de imunização das células. Quando células humanas infectadas pelo HIV foram cultivadas com extratos do Neem, a produção de proteínas virais caíram dramaticamente. O Dr. Upadhyay e o Dr. Berre'Sinousi (um dos cientistas que identificaram o vírus da AIDS) acreditaram que extratos do Neem bloqueiam a produção de proteínas virais, desse modo, param a reprodução do vírus.

Estudo dos efeitos do extrato da casca e de folhas do Neem mostraram que eles reduziram significativamente a proteínaa viral P-24 e induziram, in vitro, a produção do interferon IL-1. O Instituto Nacional de Saúde, em estudos prelinamres, registrou resultados animadores de testes in vitro onde extratos da casca do Neem mataram o vírus da AIDS.

Outro efeito possível que o Neem pode ter no combate ao vírus da AIDS está na sua aparente habilidade de intensificar a reação imunológica de células mediadoras à infecção. Usando extratos da casca do Neem encharcados em água, o Dr. Van Der Nat(Holanda) determinou que o extrato produz uma forte reação imunológica estimulante. O extrato da casca do Neem estimulou a função linfolítica, a qual aumentou a produção de MIF, um lymphokine que une macrophages e monocytes aos agentes infecciosos. Considerando como a primeira linha de defesa contra a infecção do HIV, a capacidade do Neem de aumentar a reação imunológica das células mediadoras pode oferecer proteção quanto ao perigo de se contrair o vírus pela vagina, isto, se o Neem for usado como um lubrificante antes da relação sexual.

Se apenas parcialmente eficaz na prevenção da AIDS, até que cientistas descubram a cura, o Neem poderia salvar inúmeras vidas.

Nos casos em que o HIV não tenha evoluído para um estado em que a AIDS seja incontrolável, em alguns pacientes verificou-se a intensificação da reação imunológica das células mediadoras que o Neem pode ajudar a produzir. No entanto, uma vez contraída, a AIDS pode ser tratada com a ingestão de extratos de folhas do Neem, de toda a folha, ou pela ingestão do chá do Neem.

Muitas das complicações associadas à AIDS podem também ser tratadas com folhas, casca e cremes do Neem. Lesões de pele ou sensações de queimaduras tem sido tratadas com sucesso com folhas do Neem, misturadas na água do banho e com loções contendo o óleo do Neem.

O NEEM E O SISTEMA IMUNOLÓGICO

O Neem, e em especial a sua casca, é conhecido por seus componentes polysaccharide immunomodulatory. Estes componentes parecem aumentar a produção de anticorpos. Outros componentes no Neem intensificam o sistema imunológico através da reação imunológica das células mediadoras, que são a primeira forma de defesa do organismo. Somente quando este sistema de defesa parece incapaz de deter um processo infeccioso, é que o sistema imunológico como um todo entra em ação.

O óleo do Neem age como um estimulante imunológico não específico que ativa a reação imunológica das células mediadoras. Isto, aliás, cria uma significativa reação a quaisquer desafios futuros pelos organismos infecciosos. Quando o Neem foi injetado na pele, houve um aumento significativo nos glóbulos brancos (leucócitos) e o perioneal macrophages (fagócitos) mostraram intensa atividade patológica e manifestação dos antígenos MHC class II. A produção do interferon gama também foi induzida pela injeção. As células do Baço apresentam uma reação mais alta do lymphocyte a infecçÕes, mas não aumentaram a reação aos anticorpos .

Extratos de folhas do Neem na água solúvel, quando administradas oralmente, produziram um aumento na quantidade de limphomatics, em que se contam células vermelhas e brancas tanto quanto os linfócitos. Em estudos sobre os efeitos do Neem no controle da natalidade, o fator principal neste efeito parece ser o aumento na reação imunológica, em que o Neem foi tido como a causa de o corpo rejeitar o feto como um corpo estranho.

Aumentando a reação imunológica celular, a maioria dos patógenos podem ser eliminados antes de causarem a sensação de mal estar associada a doença. Este mecanismo também poderia ajudar em doenças que envolvem o sistema imunológico, como a AIDS. Ingerindo pequenas quantidades do pó da folha ou da casca do Neem dia sim dia não, ou bebendo um chá suave do Neem aumentará a produção de anticorpos e a reação imunológica de células mediadoras, ajudando a previnir infecções.

ARRITMIA CARDÍACA (ACELERAÇÃO DOS BATIMENTOS CARDÍACOS)

Extratos de folha do Neem apresentaram uma ação contrária à arritmia, voltando ao normal, dentro de oito minutos de sua administração, no caso de arritmia induzida artificialmente. Extratos do Neem podem também diminuir, excepcionalmente, altos batimentos cardíacos.

O NEEM E A ARTRITE

A artrite é um termo genérico, abrangendo muitos tipos de doenças. As doenças podem constituir-se em: desordem no sistema imunológico, infecções, desgaste nas articulações, ou simplesmente inflamação. Geralmente desconsidera-se a origem da doença e trata-se somente a inflamação associada com a dor.


O Neem pode ajudar no tratamento da artrite de muitas maneiras. Suas propriedades antibacterianas podem ajudar a exterminar as causas da infecção, enquanto que suas propriedades capazes de reduzir a inflamação e de cortar a dor podem aliviar os sintomas. O Neem pode ajudar a criar um equilíbrio no sistema imunológico, que afeta diretamente o progresso da doença.

Numerosos estudos demonstram o benefício que o Neem possui no tratamento da artrite.


Um estudo sugeriu que componentes fenólicos contendo catecol podem produzir os comprovados efeitos antiinflamatórios. Outro estudo descobriu o quercitol, um conhecido antibacteriano, nas folhas do Neem. Outros concluíram que os polizacarídeos encontrados no


Neem reduzem a inflamação e o inchaço associados à artrite. Diferentes partes da árvore e vários extratos dessas partes foram testados. Componentes, como o “ninbibin”, extraído das sementes com álcool mostraram uma eficácia significativa no combate à artrite, tanto quanto o extrato do metanol da folha e da casca. A razão pela qual esses componentes funcionam é devido a vários fatores.


Vários componentes da folha do Neem mostraram ser inibidores mais potentes da prostaglandina do que a aspirina. Os “limonoides” e o catecol existentes na folha do Neem podem promover efeitos benéficos adicionais. Outras possíveis explicações, apontam para uma inibição da libertação de mediadores de inflamação aguda.


Um efeito anti-histamínico do “ninbidim” (basicamente sua atividade que combate a úlcera gástrica,) foi registrada. Uma modificação da reação imunológica parece reduzir a produção de agentes químicos produtores da inflamação.Em qualquer um dos casos, a longa história de usar extratos das folhas, casca e sementes do Neem para aliviar a inflamação das juntas está sendo detectada por recentes investigações científicas.

O NEEM E O CÂNCER

A árvore do Neem tem sido usada com sucesso a centenas de anos por herbanários no sudeste da Ásia para reduzir tumores.

Pesquisadores na Índia, Europa e Japão descobriram recentemente que polisacarídeos e “limonóides” encontrados nas casca, folhas e óleo das sementes do Neem reduziram tumores de câncer e mostraram eficácia contra a leucemia linfática.


Em várias patentes expedidas no Japão, extratos da casca do Neem em água quente mostraram uma excelente eficácia contra vários tipos de tumores. Vários tipos de extratos foram iguais ou até melhores do que o agente padrão que combate os tumores sólidos.

Quando os testes foram feitos usando um extrato mais puro da casca do Neem, os resultados foram ainda mais impressionantes contra tumores sólidos. Mas os extratos ainda estavam muito brutos comparados com os componentes ativos extremamente purificados usados no tratamento de tumores.


Em estudos posteriores espera-se que, usando componentes ativos do Neem realmente purificados, possam ser produzidos resultados pelo menos iguais aos do controle contra o câncer.

Outro pesquisador usou extrato das folhas do Neem para previnir a aderência de células cancerosas a outras células no organismo. Sem a capacidade de se juntar a outras células, o câncer não pode se espalhar pelo corpo e é mais facilmente destruído pelo próprio sistema imunológico do organismo, ou por outros tratamentos.

No geral, o Neem é conhecido por sua capacidade de afetar o câncer. Injeções de extratos do neem em tumores mostraram uma redução espantosa no tamanho destes tumores em apenas algumas semanas. Câncer de pele pode responder muito bem ao tratamento com o Neem.


Alguns registros feitos por pacientes afirmam que o câncer de pele desapareceu, depois de vários meses de aplicações diárias de cremes baseados no Neem.

NEEM E O COLESTEROL

Estudos recentes tem mostrado que extratos da folha do Neem reduzem significativamente os níveis de colesterol. Extratos alcoólicos da folha do Neem reduziram o soro do colesterol em aproximadamente 30%, iniciando essa redução 2 horas após a administração e mantendo o nível baixo por mais 4 horas até o final do teste.

O NEEM E A DIABETE

A diabete é uma disfunção crônica metabólica que se desenvolve quando o pâncreas não consegue mais produzir insulina suficiente. Os níveis de açúcar no sangue rapidamente se elevam, já que o organismo se torna incapaz de consumir a energia contida no açúcar, levando à fraqueza e, eventualmente, à inconsciência.


A diabete é a causa principal da cegueira em pessoas entre 25 e 74 anos. Ela também danifica os nervos, rins, os vasos sanguíneos e pode resultar na amputação de membros.

A folha do Neem é uma erva tradicional no tratamento da diabete e ficou provada cientificamente a sua eficácia no tratamento e prevenção desta doença.


Doses orais de extratos do Neem reduziram significativamente a necessidade de insulina para aqueles pacientes diabéticos não dependentes de insulina. O óleo do Neem também provou ser eficaz e foi capaz de inibir o aumento de açúcar no sangue em 45% nos testes feitos em animais. Cápsulas contendo Neem e outras ervas estão disponíveis em muitos países para o tratamento da diabete.


Em testes para verificar a eficácia do medicamento (Karnim), descobriu-se que o açúcar no sangue diminuiu em mais de 50% em 20 semanas de tratamento, mantendo-se estável daí em diante.

Extratos da folha do Neem demonstraram reduzir a exigência de insulina da diabete sem efeito aparente nos níveis da glicose sanguínea. Diferentes estudos demonstraram redução na exigência de insulina entre 20% e 50% para aqueles que tomam 5 gramas de folgas secas do Neem em cápsulas. Existem até mesmo relatos anedóticos de diabéticos mascando uma única folha do neem diariamente que conseguiram eliminar completamente as injeções de insulina.
Baseados em muitos estudos dos efeitos do Neem nas exigências da insulina, o governo indiano aprovou a venda de tabletes do Neem para diabéticos em companhias farmacêuticas. (alguns desse preparados são nada menos que folhas do Neem em pó).

O NEEM E AS DOENÇAS CARDÍACAS

Pressão alta, coágulo no sangue, colesterol alto e arritmia cardíaca são as principais causas de ataques do coração. Extratos de folhas do Neem têm mostrado que reduzem coágulos sanguíneos, diminuem a pressão sanguínea e o colesterol, reduzem as batidas cardíacas e inibem irregularidades no ritmo do coração.


Existem também relatórios em que algumas combinações do Neem podem produzir efeitos similares a sedativos brandos, reduzindo a ansiedade e outros estados emocionais e físicos que podem precipitar ataques cardíacos.


Este pode ser o resultado de um efeito calmante similar ao observado com outros chás de ervas ou uma consequëncia psicológica derivada de efeitos fisiológicos advindos da dilatação de vasos sanguíneos e a redução da pressão arterial.

O NEEM E ECZEMAS

O amplo alcance dos efeitos benéficos que o Neem possui sobre a pele faz dele um dos melhores tratamentos contra eczemas (dermatite). Embora o óleo do Neem seja preferido tendo em vista as concentrações de componentes ativos, aplicações locais de até mesmo os mais fracos extratos da folha do Neem tem curado eczemas agudos.


O NEEM E A PRESSÃO ALTA (HIPERTENSÃO)

As propriedades anti-histamínicas do “Nimbidin” em extratos de folhas do Neem causam a dilatação dos vasos sanguíneos. Extratos alcoólicos da folha do Neem (intravenoso) produziram uma imediata e significativa redução na pressão sanguínea, que durou várias horas. Outro extrato da solha do Neem, “sodium nimbidinate”, administrado em pessoas com acúmulo de insuficiência cardíaca, agiu com sucesso como um diurético.

O NEEM E O REUMATISMO

Os componentes ativos contidos nas folhas do Neem possuem um excelente atividade anti-inflamatória, comparados até mesmo a conhecidas drogas modernas como a cortisona e o fenil “butazone”.


Estes componentes aliviam a dor quando atuam no mecanismo “prostaglandin” e reduzem, significativamente, edemas agudos.

USO DO OLEO DE NEEM PARA DOENÇAS DO SER HUMANO



A IMPORTÂNCIA MEDICINAL DO NEEM:

Atenção:As informações veiculadas neste site não intencionam substituir cuidados médicos. Sempre que necessário consulte seu médico.

O Neem é uma das poucas plantas que possuem extensas propriedades clínicas, medicinais e farmacológicas.

Propriedades fungicidas:

O Neem provou ser eficaz contra certos fungos que infectam o corpo humano. Tais fungos são um problema crescente e difíceis de serem controlados por fungicidas sintéticos.

São exemplos de alguns fungos combatidos pelo Neem:

Trichophyto: um “athlete’s foot” (pé de atleta) que infecta tanto a pele qto as unhas.
Epidermophyton: uma micose que infecta o cabelo, a pele e as unhas.
Trichosporon: um fungo do canal intestinal.
Microsporum: um fungo espumante que causa infecção nos brônquios, pulmões e membranas da mucosa.Cândida: um fungo que é parte da mucosa normal da flora, mas que pode ficar fora de controle e provocar lesões na boca, na vagina, na pele, nas mãos e nos pulmões.

PROPRIEDADES ANTI-BACTERIANAS:


O óleo de Neem tem eliminado várias espécies de bactérias patogênicas, incluindo:
Staphylococcus aureus, que é uma fonte de comum de intoxicação alimentar e causadora de desarranjos.
Salmonella typhosa, esta bacteria muito temida que vive na comida e na água causa o tifo, envenenamento alimentar, e uma variedade de infecções que incluem envenenamento sanguíneo e inflamação intestinal.

PROPRIEDADES ANTI-VIRÓTICAS:

A atividade anti-virótica do Neem tem alta eficácia, paricularmente contra doenças caracterizadas por erupções. Varíola, catapora e verruga tem sido tradicionalmente tratados com pasta de Neem, esfregando-se a mesma na área afetada. O Neem é um preventivo muito eficiente contra o vírus, mas não é a cura.

PROPRIEDADES INSETICIDAS DEMATOLÓGICAS:

O Neem é um remédio comum e popular contra piolho e verme. No Haiti, por exemplo, as folhas do Neem são esmagadas e esfregadas nos ferimentos infectados por vermes, e na Índia e Bangladesh, moradores de vilas aplicam o Neem no cabelo para matar piolhos, fato observado com grande sucesso.

O NEEM NO TRATAMENTO DENTÁRIO:

Tanto na Índia como na África milhões de pessoas usam pequenos galhos de Neem como “escovas de dente” todos os dias. Dentistas aprovam esta prática primitiva por acharem que realmente previne doenças periodônticas. Não está claro se o benefício é devido à massagens regulares da gengiva, se por previnir a formação de placas, se pelas propriedades anti-sépticas do Neem, ou se pelas três hipóteses juntas. Companhias alemãs usam o Neem como um ingrediente ativo em pastas dental. O Neem se mostra muito eficaz na prevenção e cura de inflamações na gengiva e nas doenças periodônticas

O NEEM COMO PREVENTIVO DA DOENÇA DE CHAGAS:

O parasita Trypanosoma Crusi causa esta grave doença. Ele vive e se reproduz dentro das células nervosas e das células musculares, particularmente nas do coração, sugando toda a energia de suas vítimas.extratos do Neem atuam sobre o mosquito que transmite a temida doença de Chagas. Os extratos não matam os insetos, ao invés, eles os imunizam contra parasitas que vivem dentro dos insetos por um ciclo de suas vidas. Uma pesquisa foi realizada e mostrou que alimentando-se os mosquitos transmissores com o Neem, não só os libertam do parasita, como também o Azadirachta impede o jovem inseto de mudar de pele e os adultos de se reproduzirem.

O NEEM COMO PREVENTIVO DE MALÁRIA:

Profissionais indianos do sistema de medicina de Ayurveda, tem preparado doses orais do Neem e administrado em pacientes portadores de malária a séculos. A atividade anti-malárica do Neem está relatada nos livros de Ayurveda. Chás das folhas do Neem, são usados para tratar malária. Certos extratos das folhas e das sementes do Neem, já provaram sua eficiência contra o parasita da malária. O Nee reage muito bem como quinimo nas culturas de células afetadas pela malária.

O NEEM COMO ANALGÉSICO E ANTI-TÉRMICO:

O Neem é também muito eficaz como analgésico, antitérmico e anti-inflamatório, é um produto de baixo custo. O Neem é usado para estes propósitos onde quer que seja cultivado.

OUTRAS PROPRIEDADES MEDICINAIS:

Extratos de água das folhas e do óleo do Neem provaram reduzir significativamente o açucar no sangue e impedir que a adrenalina produza hiperglicemia em animais de laboratório.
O Neem demonstrou uma propriedade significativa de infertilidade em ratos machos sem interferir com os espermas atogenesis.
Extratos alcóolicos das folhas provaram curar doenças cutâneas como o eczema, impigem, etc.
Nimbidim, um componente, um amargo extraído do óleo do Neem provou possuir uma atividade analgésica e antipirética eficaz no tratamento de sarna e úlcera gastroduodenal crônica.
Nimbatikta, um elemento completamente amargo do Azadirachta indica também provou curar úlceras crônicas com eficácia.
O uso do óleo do Neem intravaginal provou ser eficaz na prevenção da gravidez.

O NEEM AJUDANDO OS FAZENDEIROS


O NEEM AJUDANDO OS FAZENDEIROS EM PAÍSES EM DESENVOLVIMENTO

O pesticida “suave” derivado do Neem está levando progresso por toda a região onde se planta a árvore do Neem. Substituindo pesticidas químicos de alto custo por extratos crus do Neem economiza-se dinheiro e vidas. Em países em desenvolvimento, estima-se que 500.000 pessoas intoxicadas e até 20.000 morrem anualmente pelo uso de produtos químicos na agricultura.


Para proteger suas plantações, a maioria dos lucros desses fazendeiros nos países em desenvolvimento é gasta com esses pesticidas químicos, produzindo um ciclo que não significa mais alimentos e melhor qualidade de vida, mas uma pobreza contínua, saúde debilitada e degradação do meio ambiente.

Para quebrar este ciclo e melhorar a vida desses fazendeiros, agências como CARE, AID e AFGRO estão promovendo ativamente a introdução e o uso do Neem no sudeste da Ásia, na África, no Caribe, na América Central e na América do Sul. Mudas e programas educacionais fornecem aos fazendeiros os meios e os métodos para se obter um produto barato, seguro e eficaz que proteja suas plantações contra mais de 200 tipos de pragas, inclusive o gafanhoto do deserto.

Fazendeiros no México e no Haiti e pastores na Austrália começaram a trocar os inseticidas químicos por simples pulverizações à base de Neem. Isto permitiu aos fazendeiros exportar mangas e outras frutas para os EUA, sem os resíduos químicos que geralmente barravam suas cargas nos postos de inspeção. Pulverizações feitas a base do Neem tem, da mesma forma, permitido aos pastores na Austrália produzirem uma lã livre de pesticidas que está sendo vendida a compradores europeus com ágios elevados acima dos padrões de lãs impregnadas de pesticidas químicos.

ARMAZENAGEM DE ALIMENTOS

Nas regiões tropicais, grande parte dos alimentos colhidos são perdidos em armazenamentos. O Neem oferece aos fazendeiros uma alternativa barata na troca de pesticidas químicos por derivados do Neem. Uma leve camada de óleo do Neem protege o armazenamento de alimentos de todos os tipos de infestações por mais de 20 meses, sem deterioração ou probabilidade de perda do sabor.

BACTÉRIA

O biopesticida de mais sucesso até o momento é o Bacillos Thuringienses (b.t.) existem 25 tipos de b.t. sendo usado contra pragas. Eles produzem várias toxinas inseticidas, tais como: exoand, endotoxins, que são responsáveis pela morte de insetos que penetram em seus corpos.


Aproximadamente 525 insetos de vários tipos foram encontrados infectados pelo b.t.. Muitos produtos comerciais do b.t. foram fabricados por aproximadamente 12 empresas em cinco países e são denominados: Thuricide, Bacthne, Bactospen etc..


Essas fórmulas são excelentes no controle da peste da couve, tais como Diamond back moth (traça) e a larva da borboleta (peirid). O controle com sucesso, da lagarta Eliothis do algodão e do milho, broca européia do milho, larva do chifre do tabaco e lagarta do castanheiro da Índia, foram relatados nos últimos anos.

MELHORAMENTO DO SOLO - A TORTA DO NEEM

Depois da extração do óleo do miolo das sementes, o material restante é chamado de "torta do Neem". Este material tem sido usado por séculos por toda a Índia como um adubo para o solo. Experiências tem ensinado aos fazendeiros naquele país que adubando o solo de um jardim com a "torta do Neem", são produzidas plantas maiores e mais saudáveis, com poucos problemas de pragas.

Vários estudos foram realizados para descobrir porque plantas crescem melhor em solos adubados com a "torta do Neem". Os estudos descobriram que a torta era mais rica em nutrientes vegetais do que o esterco, eliminava "nematóides", aumentava a população de minhocas, ajuda a manter o nitrogênio no solo disponível para as plantas, e oferece proteção significativa às plantas contra os insetos. Esta combinação de efeitos oferece uma condição praticamente ideal de crescimento .

Ao eliminar os "nematóides" do solo, a principal praga das plantas é eliminada. Os nematódeos sugam líquidos das raízes a tal ponto que elas se tornam incapazes de suprir a planta com nutrientes. As plantas ficam com uma aparência doentia, param de crescer e podem eventualmente vir a morrer, apesar de estarem recebendo nutrientes adequados , água e cuidados. Por outro lado, ao promover o aumento na população de minhocas a "torta do Neem" ajuda a manter o solo solto de tal forma que a água e os nutrientes possam ser absorvidos pelas raízes com mais facilidade. As minhocas também enriquecem o solo ao criarem prontamente nutrientes absorvíveis, já que se alimentam de vegetais em decomposição. A "torta do Neem"também reduz o índice de nitrificação do solo ao eliminar as bactérias nitrificantes tais como "nitrosomonas" e as nitrobacteriáceas.


Isto reduz a necessidade da aplicação de nutrientes externos. Alguns estudos mostraram que misturando-se a "torta do Neem"com aplicações de esterco regularmente pode praticamente dobrar a produção da colheita em comparação com o uso apenas do esterco.

NEEM: UM BIOPESTICIDA

O Neem, juntamente com seus produtos, é um pesticida altamente eficiente e ecológico.
Os biopesticidas produzidos do Neem são de grande importância eficácia e comercialmente viáveis, tendo em vista que são baratos, possuem efeitos a longo prazo, não poluem e não são nocivos a saúde humana. Agente biopesticidas estão disponíveis em abundância na natureza.

É eficaz como biopesticida no:

· Controle do crescimento do arroz.
· Controle de fungos nocivos do arroz.
· Controle da “mancha marrom” do arroz.
· Controle da bactéria que faz secar as folhas.
· Controle do caruncho que afeta o coqueiro.
· Controle das doenças de hortaliças.
· Controle do caruncho do gengibre.
· Controle patogênico de bactérias em plantas.
· Controle patogênico de solo para o cultivo do gengibre
· Controle de doenças viróticas em plantas e plantações de hortaliças.
Controle do vírus mosaico da pimenta usando produtos vegetais
· O Neem acrescentado aos inseticidas sintéticos são usados no controle do “bullworm” do algodão.
· O Neem é eficaz em insetos que atacam o algodão, a vargem e o arroz
· O óleo do Neem preserva as folhas do algodão.
· Combate a lagarta do cartucho do milho
· Controle dos insetos que atacam o Kail chinês.
· Controle de fungos que atacam o amendoim.
· Controle da descamação da batata.

Controle do vírus mosaico do pepino que afeta o tabaco e o “chilli plant”.

OS EFEITOS DE NEEM NO CONTROLE DE INSETOS

Vermes: A folha seca moída, adicionada ao sal ou à RAÇÃO DO GADO, combate o verme e evita a mosca do chifre.
Mosca do chifre: o Azadirachta (Princípio ativo do Neem) atravessa o canal digestivo do ruminante e lá permanece tempo suficiente para que as moscas do chifre não se desenvolvam no estrume.
Como cicatrizante: A folha verde triturada ou esmagada, esfregando-a no ferimento exposto do animal, é excelente cicatrizante.
Blow Flies: o óleo e o extrato da semente do Neem impedem que a blow fly fêmea, Lucilia Sericata, bote seus ovos em carneiros. No Sri Lanka, o óleo do Neem é esfregado no gado como repelente de insetos.
O Azadirachta também é capaz de exterminar os ovos da mosca Stomoxys Calcltrans.

EFEITOS DO NEEM EM INSETOS

Os extratos do Neem são conhecidos pôr atuar sobre vários insetos da seguintes maneiras:
- Rompendo ou inibindo o desenvolvimento de ovos e larvas;
- Bloqueando a mudança de pele de larvas e ninfas;
- Rompendo o acasalamento e a comunicação sexual;
- Repelindo larvas em insetos adultos;
- Impedindo a fêmea de botar ovos;
- Esterelizando os adultos;
- Envenenando larvas e adultos;
- Impedindo a alimentação;

INSETOS AFETADOS POR PRODUTOS DO NEEM

- Mosca branca, mosca minadora, mosca-das-frutas, pulgões, Diabrotica speciosa, traça das crucíferas, lagarta do cartucho, brocas do tomateiro, ácaros fitófagos, trips, cochonilhas, bicho mineiro do cafeeiro, bicho minador do citrus, outros besouros e lagartas, mosca doméstica, barata, pulgas, mosquitos, pernilongos, Aedes aegypt, berne, carrapato, piolhos,
- Grilos, formigas de fogo, gorgulho do arroz e nematóides (aplicar no solo).
- Doenças de plantas – ferrugem do feijoeiro, Rhizoctonia solani, R. oryzae, Sclerotium rolfsii, Fusarium oxysporum, Phitophtora (murchadeira em tomate e batata).


REPORTAGEM EXIBIDA PELO GLOBO RURAL AGOSTO/2009

segunda-feira, 26 de outubro de 2009

Natura gold neem e sucesso


INSETICIDA NATURA GOLD NEEM DE SP FAZ SUCESSO NA FEIRA AGROPECUARIA DE ARAGUAINA-TO


“Muito parazita e pouca saúde. Os males do Brasil são”. A frase do modernista Mário de Andrade revela que os parazitas são mesmo um problema no país, tanto nas áreas urbanas, quanto em propriedades rurais.

Acabar com eles usando um produto 100% natural que não apresenta risco para crianças ou animais domésticos é o que faz o Natura Gold Neem, um inseticida orgânico, extraído de uma planta originária da Índia, chamada nim, cujo princípio ativo, azadiracta indica, tem ação inseticida e fungicida.

O produto tem chamado a atenção do público no estande do Sebrae em Araguaina -TO, na Feira Agropecuria 2009*, Organizado pelo Sebrae - Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas e pela Embrapa - Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária, A feira Agropecuaria e o maior evento de promoção de negócios sustentáveis da região Norte , com a previsão de gerar R$ 80 milhões em transações comerciais entre empresas e instituições científicas renomadas. Segundo o diretor comercial da empresa Evolution Distribuidora,Rui Roberto Santanna de Oliveria, o produto é revolucionário por suas caracaterísticas, é extremamente barato, com aplicação simples e 100% eficiente, além de não ser venenoso, não tóxico, não poluente, não químico e oferece segurança para o ser humano.


“O Natura Gold Neem é o primeiro produto no mundo com essas características. Nos últimos 50 anos, não surgiu nada igual em termos de inseticida”, garante.


Por causa de tais características, o produto tem feito tanto sucesso no evento, afinal está afinado com a filosofia da feira, um evento centrado na promoção de ações tecnológicas que viabilizem o desenvolvimento sustentável do Agronegocio, permitindo a exploração econômica da região sem danos ao meio ambiente.

A ação do produto natural, é repelente e causa desidratação celular nos insetos que, pela contaminação da colônia, leva sua extinção. Rui explica que basta pulverizar o produto sobre as plantas, que o produto se incumbira de atacar o sistema digestivo e reprodutivo eliminando assim toda a infestacao e previnindo contra reinfestacao.


O produto controla todo tipo de insetos, pragas, fungos e bacterias nocivas a agricultura, inclusive Lagarta do cartucho, Nematiodes (Combate mais de 445 tipos de parazitas) Sendo que no brasil tem catalogado 115 tipos de pragas e insetos .


O Natura Gold Neem, cuja distribuição nacional está sediada em Jarinu-SP (a 50 km da capital Sao Paulo), teve sua formulacao inicial elaborada pelo Dr Shiroi Sakai agronomo renomado mundialmente por desenvolver uma gama de produtos organicos para agricultura,.


Desde que foi lançado no mercado há seis anos, o volume de vendas do Natura Gold Neem tem duplicado a cada ano. A estratégia da empresa é, até o final de 2010, vender o produto em todo o Brasil.


Por enquanto, o produto é encontrado, exclusivamente em seu site http://www.evolutionagro.com/, em seu blog http://www.evolutioagro.blogspot.com/ e em sua central de telemarketing.


Mas no futuro, será revendido também nas melhores lojas do brasil.

STARKENVIT


Metabólicos - Stärken-vit

Descrição e Indicação:

Perfeita combinação entre Minerais, Vitaminas, Aminoácidos (responsável pela formação estrutural de hormônios , proteínas, enzimas, DNA e RNA que são essenciais ao organismo animal.

Possui um diferenciado Complexo Ativador de Crescimento e Reprodução.

Maior produção de Leite, Mais Fertilidade, Maior Peso e melhores condições Sanitária na Desmama. Melhor Sanidade, Mais quilos em menor tempo, Bezerros mais fortes e desenvolvidos. Maior concentração de Selênio do mercado, e o único com total formulação Vitamínica ADE + B12.

Modo de usar:Agitar bem antes de aplicar, Aplicação via Subcutânea ou Intramuscular (equinos).

Aplicação Preventiva: Rebanho Leiteiro (repetir a cada 45 a 60 dias). Rebanho de Corte (repetir a cada 60 a 90 dias).

Aplicação Curativa: Rebanho de Corte ou de Leite (repetir a cada 15 dias), fazer 3 vezes seguida.


Posologia:

Bovinos e Eqüinos Adultos - 10 ml

Bovinos e Eqüinos Jovens - 05 ml

Ovinos e Suínos Adultos - 05 ml

Cordeiros e Leitões - 03 ml

ADEBOM


Suplementos - ADEBOM

VANTAGENS

* Menos estresse na desmama;

* Fórmula de alta absorção;

* Maior produção de leite;

* Maior ganho de peso;

* Melhora a fertilidade

NÍVEIS DE GARANTIA POR Kg DOPRODUTO

Vitamina A - 12.000.000 UI

Vitamina D3 - 3.000.000 UI

Vitamina E - 6.000 UI

Vitamina B12 - 1.000 UI

Antioxidante - 125 mg

INDICAÇÕES ADEBOM é indicado para bovinos,ovinos, caprinos, equinos, suínos,aves e coelhos, prevenindo asdeficiências das vitaminas A, D e E epromovendo melhora na produçãodos animais.

Ótimo para bezerros emdesmama, fêmeas e machos emestação de monta, vacas leiteiras emprodução e novilhas de reposição.

MODO DE USAR


Bovinos, Ovinos e Caprinos1 a 2 kg por tonelada de ração.Misturado ao sal mineralizado: 1,5 a2 kg/25 kg.

Equinos: 10g por diaAves, Coelhos e Suínos: 500 a 800 gpor tonelada de ração.

APRESENTAÇÃO Baldes com 10 kg. 20 kg. e 50 kg.

SUPLEMENTO MINERAL EQUIBOM


Suplementos - EQUIBOM

VANTAGENS


* Melhora no desempenho;

* Pelagem com mais brilho;

* Melhora a absorção dos alimentos

* Fórmula equilibrada e de alta absorção.


INDICAÇÕES É indicado para prevenir as deficiênciasde minerais e vitaminas de equinos emtodas as fases da criação.

MODO DE USAR Éguas (lactação) e Garanhões: 100 gao dia - Durante 20 dias.

Éguas em gestação: 50 g ao dia por 30dias - início: 45 dias antes do parto.Éguas e garanhões (em período de monta): 50 g ao dia por 30 dias - início:50 dias antes do período de monta.

Potros de desmama: 20 g ao diaduração 20 dias.

Potros Jovens: 50 g ao dia - duração 20 dias.

APRESENTAÇÃOBaldes com 1 kg. 10 kg. 20 kg. e 50 kg.


NÍVEIS DE GARANTIA POR KG DO PRODUTO
Cobre 350 mgVitamina B6 - 50 mg

Cloro - 12 g

Vitamina D3 - 50.000 UI

Ferro - 8.960 mg

Iodo - 10 mg

Ácido Pantolênico - 200 mg

Manganês - 1.620 mg

Vitamina B2 - 190 mg

Vitamina E - 500 mg

Flúor(máx) 1.11.70 mg

Cálcio(min) - 15 g

Zinco - 2.700 mg

Vitamina B1 - 60 mg

Selênio - 3.15 mg

Cobalto - 4.200 mg

Vitamina B12 - 1.000 mg

B.H.T. - 125 mg

Fósforo(min.) 111.60 g

Niacina - 890 mg

Vitamina A - 300.000 UI

SUPLEMENTO MINERAL VITABOM


Suplementos - VITABOM

VANTAGENS* Formulação de alta absorção;

* Baixo custo;

* Maior ganho de peso;

* Melhora a fertilidade;

* Maior produção de leite;

* Menos estresse na desmama.

INDICAÇÕES VITABOM é indicado na prevençãodas deficiências de minerais evitaminas A, D e E e para aumentara produtividade dos animais; vacas,touros, tourinhos em estação demonta; vacas leiteiras emprodução e novilhas de reposição.

APRESENTAÇÃOBaldes com 10 kg e 50 kg

NÍVEIS DE GARANTIA POR KG DO PRODUTO


Promotor de crescimento-10.200mg

Cobalto - 3.500 mg

Cobre - 70.000 mg

Ferro - 100.000 mg

Iodo - 5.500 mg

Manganês - 51.240 mg

Selênio - 270 mg

Zinco - 102.000 mg

Antioxidante - 125 mg

Solubilidade Fósforo (P) em ácidocítrico a 2%(mín.) - 95%

Cálcio(mín.) - 112g

Fluor(máx) - 821mg

Cobre - 17.200 mgIodo - 1.300 mg

Selênio - 520 mg

Vitamina A - 3.000.000 UI

Vitamina E - 500 mg

ENGORMEC GOLD 4.50


ENGORMEC GOLD 4.50+ADE


Descrição: Fórmula: Cada 100 mL contém:

Ivermectina......................4,50 g Retinol (vit A) ..........1.500.000 U.I Tocoferol (vit. E) ..............100 U.I Colecalciferol (vit. D3)...750.000 U.I Veículo.q.s.p................100,00 mL

Indicações:


ENGORMEC GOLD é um endectocida de amplo espectro, de ação prolongada e liberação programada. Combate nematódeos (vermes gastrintestinais e pulmonares).

É bernicida, sarnicida e piolhicida.

Controla o carrapato dos bovinos e previne bicheiras (miíases).

Agentes etiológicos susceptíveis:

Parasitos Internos: Nematódeos gastrintestinais: Ostertagia ostertagi ............................adultos e imaturos (inclusive larvas inibidas -hipobióticas).

Haemonchus placei............................adultos e imaturos. Trichostrongylus axei .........................adultos e imaturos. Trichostrongylus colubriformis.............adultos e imaturos. Cooperia spp.......................................adultos e imaturos.

Cooperia oncophora ...........................adultos.

Cooperia punctata...............................adultos. Strongyloides papillosus......................adultos.

Nematodirus spp..................................imaturos. Oesophagostomum radiatum..............adultos e imaturos. Oesophagostomum venulosum...........adultos. Trichuris spp........................................adultos.


Nematódeo pulmonar: Dictyocaulus viviparus...........................adultos e imaturos.

Parasitas Externos: Bernes: Larvas de Dermatobia hominis, Hypoderma bovis e H. lineatum. Ácaros: Chorioptes bovis*, Sarcoptes scabiei - var. bovis

*Auxilia no controle desse parasito, quando usado como parte de um programa contínuo. Piolhos: Linognathus vituli, Haematopinus euriysternus, Solenopotes capillatus, Damalinia bovis. Carrapato: Controle do carrapato comum dos bovinos (Boophilus microplus). Auxilia no controle da miíase cutânea (bicheiras) causada pelo estágio larval da mosca Cochliomyia hominivorax, quando administrado como preventivo.

E AINDA MAIS AS VITAMINAS: VITAMINA A: Estimula o crescimento, fertilidade, aumenta a resistência contra infecções.

VITAMINA D3: Absorve cálcio e fósforo, previne e cura raquitismo e a osteomalecia. VITAMINA E: Estimula fertilidade, funcionamento do fígado, importante no metabolismo dos hormônios, melhora o funcionamento dos sistemas respiratório e circulatório. Dosagem: Aplicar por via subcutânea, 1 mL para cada 50 kg de peso corporal, conforme tabela abaixo: Peso (kg) Dosagem (mL) 1 mL a cada 50 kg Dosagem equivalente por kg de peso corporal: 800 mcg de ivermectina. Administração: Aplicar por via subcutânea. ENGORMEC GOLD - IVERMECTINA 4,50% +AD3E

IVERMECTINA ULTRAMAX GOLG

ULTRAMAX GOLD 4.3+ADE LONGA ACAO

Descrição: Fórmula:
Cada 100 mL contém: Ivermectina......................4,30 g Retinol
(vit A) ..........1.500.000 U.I Tocoferol
(vit. E) ..............100 U.I Colecalciferol
(vit. D3)...750.000 U.I Veículo.q.s.p................100,00 mL
Indicações: ULTRAMAX GOLD é um endectocida de amplo espectro, de ação prolongada e liberação programada.
Combate nematódeos (vermes gastrintestinais e pulmonares).
É bernicida, sarnicida e piolhicida.
Controla o carrapato dos bovinos e previne bicheiras (miíases).
Agentes etiológicos susceptíveis:
Parasitos Internos: Nematódeos gastrintestinais:
Ostertagia ostertagi ............................adultos e imaturos (inclusive larvas inibidas -hipobióticas). Haemonchus placei............................adultos e imaturos.
Trichostrongylus axei .........................adultos e imaturos. Trichostrongylus colubriformis.............adultos e imaturos. Cooperia spp.......................................adultos e imaturos. Cooperia oncophora ...........................adultos. Cooperia punctata...............................adultos. Strongyloides papillosus......................adultos. Nematodirus spp..................................imaturos. Oesophagostomum radiatum..............adultos e imaturos.
Oesophagostomum venulosum...........adultos. Trichuris spp........................................adultos.
Nematódeo pulmonar: Dictyocaulus viviparus...........................adultos e imaturos. Parasitos Externos: Bernes: Larvas de Dermatobia hominis, Hypoderma bovis e H. lineatum.
Ácaros: Chorioptes bovis*, Sarcoptes scabiei - var. bovis *Auxilia no controle desse parasito, quando usado como parte de um programa contínuo. Piolhos: Linognathus vituli, Haematopinus euriysternus, Solenopotes capillatus, Damalinia bovis.
Carrapato: Controle do carrapato comum dos bovinos (Boophilus microplus).
Auxilia no controle da miíase cutânea (bicheiras) causada pelo estágio larval da mosca Cochliomyia hominivorax, quando administrado como preventivo.
E AINDA MAIS AS VITAMINAS: VITAMINA A: Estimula o crescimento, fertilidade, aumenta a resistência contra infecções.
VITAMINA D3: Absorve cálcio e fósforo, previne e cura raquitismo e a osteomalecia. VITAMINA E: Estimula fertilidade, funcionamento do fígado, importante no metabolismo dos hormônios, melhora o funcionamento dos sistemas respiratório e circulatório.
Dosagem: Aplicar por via subcutânea, 1 mL para cada 50 kg de peso corporal, conforme tabela abaixo: Peso (kg) Dosagem (mL) 1 mL a cada 50 kg Dosagem equivalente por kg de peso corporal: 800 mcg de ivermectina. Administração: Aplicar por via subcutânea.